29 de agosto de 2010

Puzzle

Edifício Vita Felice. O nome incomodava os condôminos, já que não eram felizes de fato.
No térreo morava o zelador, Zé. Depressivo, solitário, sempre inebriado de cachaça.
1º andar: Dante, estudante órfão, e a madrasta surda, Inaudita Senson. Ele, carente, não tinha ninguém com quem conversar. Ela vivia com a cabeça nos crochês.
2 andar: o médico, Doutor Kury Tudor, e sua poodle Stephanie. Precisando se concentrar nos estudos, sempre se irritava com Stephanie e seus latidos agudos, estridentes.
3º andar: mais ringue do que lar, ali se confrontavam, todo santo dia, Escan Teio de Campos, fanático por futebol, e Joaquina Névola, a esposa fanática por novelas. Ele sempre perdia o embate e o jogo.
4º andar: o percussionista, Ubiratan Bör, e a esposa hipocondríaca, Dolores Chagas. Ela se queixava de que a vibração dos tambores lhe causava palpitações e lesões nos tímpanos.

Quando mudaram o nome do prédio para Vita Triste, chega a notícia: Joaquina fora contemplada numa promoção. Ganhou um carro zero quilômetros. Não imaginava, porém, quem chegaria dirigindo o carro: Reinini Gianeccaldo, famoso galã de novelas.

Apaixonada, Joaquina botou o marido para fora e o ator para dentro. Escan foi morar no 1o. andar com Dante. Hoje conversam muito e, juntos, assistem aos jogos. Sem quarto, a madrasta Inaudita partiu. Então, o músico Ubiratan, querendo trocar a hipocondríaca pela surda, sugeriu ao Dr. Kury que abrigasse sua esposa Dolores no 2o. andar. Agora Ubiratan toca seus tambores sem incomodar Inaudita, enquanto o médico, solícito, dissuade Dolores de que ela seja doente terminal. Mas não foi fácil: Dolores, preocupada com pulgas, raiva e outras doenças, impôs: só moro com o médico se a cadela for embora. Assim, a cadela foi dada para Zé, que, feliz com a companhia, largou a bebida. Hoje, apesar do nome Triste Vita, todos no prédio vivem profundamente felizes.